O que é ágio e deságio? Como é feito o cálculo?
2018-06-04
Securitização: como funciona? Vale a pena?
2018-06-04

Se não faz ideia sobre o que é uma duplicata de serviço ou duplicata mercantil, não precisa se desesperar!

Com exceção de quem está cursando a matéria de Empresarial na graduação de Direito ou de quem já faz parte no ramo dos negócios há um bom tempo, a verdade é que muitas pessoas não sabem o que é duplicata mercantil e de serviço. Neste artigo, você poderá tirar várias dúvidas sobre o que significa duplicata e por quais motivos esse documento é tão importante para tantas pessoas e seus respectivos negócios.

O que é uma duplicata?

Antes de tudo é essencial esclarecer o que é uma duplicata. Por mais complexo que o termo pareça, a função da duplicata pode ser resumida em uma palavra: garantia.

Duplicata nada mais é que um título de crédito emitido com o intuito de efetuar a cobrança pelos serviços prestados, ou seja, a definição de duplicada de serviço pode ser simplificada pela ideia de um documento que prova a existência de contrato de compra (devedor) e venda (credor).

A partir desse conceito, é preciso que você também entenda o que é um título de crédito, que corresponde ao documento que contém um direito de crédito e representa a obrigação desta dívida de acordo com as informações nele inscritas.

A vantagem de ter um título de crédito em mãos é a facilidade que ele garante no momento de efetuar a cobrança do devedor. No caso, não é necessário que se instaure um processo judicial desde o início, pois com o título de crédito executivo, no caso, a duplicata, você pode avançar algumas fases processuais e ir direto para a execução da dívida.

Ou seja, estando com a duplicata e o recibo, você poderá entrar com a ação executiva e o juiz intimará a parte devedora a efetuar o pagamento.

O que é duplicata de serviço? É um título de crédito utilizado no cotidiano empresarial e que garante um valor a ser pago em razão de serviço prestado ou mercadoria entregue.

A utilização de duplicatas representa uma garantia para os dois lados do que celebra o negócio, tanto para quem vende como para quem compra, haja vista que é o documento que comprova quais serviços foram prestados, bem como o preço a ser pago pela execução dos mesmos. Vejamos um exemplo prático.

Imagine que você comprou da empresa X vários produtos (coleiras, caminhas para cachorro, ossos, rações etc.) para a sua empresa de pet shop. A empresa X emitirá, no prazo de 30 dias, para a sua empresa, uma duplicata que conterá todos os produtos, bem como o valor a ser pago.

No prazo de 10 dias, a sua empresa deverá devolver a duplicata assinada (a sua assinatura representa o aceite) ou com explicação do motivo pelo qual você não aceita.

A partir do aceite ou assinatura da duplicata, o comprador gera, para ele, uma obrigação e, para o vendedor, é constituído um direito.

Um motivo lícito para o não aceite da duplicata é a mercadoria ter sido entregue com algum problema, vícios, diferente na qualidade e quantidade ou divergência nos prazos ou valores anteriormente ajustados.

Assim, podemos concluir que a principal função da duplicata consiste em agilizar e garantir a cobrança de dívida.

Duplicatas na prestação de serviços

A duplicata é utilizada para as vendas realizadas a prazo e, caso verificado que não houve o seu pagamento após o vencimento, a mesma poderá ser protestada.

No momento da entrega dos produtos, além da nota fiscal, acompanhará um canhoto que comprovará a entrega da mercadoria e, no caso de não pagamento pela mesma, o fornecedor poderá emitir a duplicata e protestar via cartório de protesto.

Assim, a duplicata funciona como uma promessa por parte do comprador de que ele efetuará o pagamento daquele valor correspondente às mercadorias ou serviços previstos expressamente no título.

Quando não houver aceite pelo devedor, bem como na ausência de indicação de credor também poderá esse título de crédito ser protestado.

Apesar de a duplicata ter origem em uma fatura, de uma só fatura podem ser emitidas várias duplicatas.

Para que a duplicata seja considerada título executivo válido é necessário que tenha contido expressamente o nome duplicata, número da fatura, data de vencimento, nome e domicílio das partes, valor a pagar (por isso é considerada um título executivo líquido), aceite, assinatura da empresa que está emitindo o documento.

É emitida sempre pelo fornecedor ou vendedor e, a depender da política da empresa credora, se paga antes da data de vencimento, é possível que seja dado desconto no valor cobrado.

Por ser um título causal, a duplicata de serviço ou mercantil prescinde da emissão de uma fatura ou nota fiscal da venda ou dos serviços prestados, de modo que através dela será garantido ao devedor o pagamento de um débito.

Falsificar informações quanto à quantidade ou qualidade da mercadoria vendida ou do serviço prestado é crime na duplicata de serviço.

Você sabia que quem falsifica as informações previstas na duplicata pode, além ser obrigado a pagar multa, acabar preso? Apenas a título de curiosidade, vale dizer que a duplicata é tão importante e levada tão a sério no mundo mercantil, que a sua falsificação corresponde a crime previsto no Código Penal.

Outro detalhe importante é que você não deve confundir o que é duplicata de prestação de serviços com boleto bancário. Embora ambos tratem de estipular um valor a ser pago pelo devedor em razão do credor, o boleto bancário é um documento de cobrança, enquanto duplicata é um título de crédito líquido, literal e exigível.

Por ser um título de crédito, a duplicata pode ser utilizada em uma ação de cobrança judicial.

Agora você já conhece alguns dos vários aspectos que envolvem a questão do que é duplicata de serviço, você compreende a sua importância para as transações comerciais (compras e vendas) a prazo e o quanto ela garante o pagamento de dívida e cumprimento de obrigações.

Se ficou qualquer dúvida ou caso você queira dar sua opinião sobre o assunto ou o artigo, deixe um comentário abaixo. Acompanhe nossas publicações para ficar sabendo mais sobre tópicos como esse.


Você é um financiador ou empresa cedente? Cadastre-se !


 

4 Comments

  1. Liliam Lopes Fragoso disse:

    Estou recebendo estás cobranças em meu CPF e não faço a mínima ideia do que seja e não estou pagando nem sei por onde começa investigar para saber a origem dessas cobranças todo mês.como faço para saber de o de está vindo essas cobranças.meu e-mail liliamfragoso@hotmail.com célular 11974093215

    • Oi Liliam, você deve acessar online empresas de proteção ao crédito, como Boa Vista, Serasa, e, assim, consultar seu CPF. No site dessas empresas você encontrará a informação sobre para quem está devendo (telefone), qual o valor da dívida, o que facilita a negociação e o pagamento.

  2. Sou a Bruna de Souza, e quero parabenizar você pelo seu artigo escrito, muito bom vou acompanhar o seus artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRAR