Fluxo de caixa: entenda o que é e qual a sua importância

Como calcular a margem de lucro da sua antecipação de recebíveis?
2018-07-20
Empréstimo para pessoa jurídica: o que é e como conseguir?
2018-08-01

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é uma espécie de controle da movimentação financeira do seu empreendimento, dentro de um espaço de tempo estipulado. Por meio de registros detalhados que abrangem entradas e saídas de dinheiro, dentro de dias, semanas ou meses, já é possível obter instrumentos de verificação e uma análise referente ao seu negócio.

De forma que a análise seja precisa, todas as receitas e despesas precisam ser registradas, independentemente do valor. Normalmente, esses registros são elaborados em planilhas. Entretanto, iniciar essa parte de uma forma mais completa, com uma gestão do fluxo de caixa, pode ser a melhor opção.

Dessa forma, a gestão financeira torna-se mais profissional, pois conseguirá apontar quais são os erros cometidos na empresa. Com isso, evitará que meses ou até anos de trabalho sejam desperdiçados. O fluxo de caixa é o alicerce para que o seu estabelecimento seja um sucesso e para atestar a sua saúde financeira.

Apoie-se nos resultados da análise para saber o que está funcionando e o que precisa de mudanças.

Qual a importância do fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é um instrumento que traz muitas vantagens para qualquer empreendimento, como:

  • É possível se antecipar, planejar e fiscalizar entradas e saídas de dinheiro, pelo período que optar;
  • Avaliar se o dinheiro que está entrando é suficiente para cobrir os gastos;
  • Antecipar um propósito quanto à falta ou à sobra de dinheiro;
  • Descobrir se o estabelecimento está trabalhando com aperto ou folga financeira;
  • Ter a possibilidade de baixar ou aumentar o preço dos produtos;
  • Verificar se é possível investir em promoções e liquidações;
  • Confirmar se os recursos financeiros existentes são suficientes para seguir com a empresa ou se é necessário solicitar um empréstimo.

Um dos erros mais comuns em uma empresa é acompanhar apenas o caixa. Se está dando lucro, ok, mas se não estiver, há um problema. Porém, uma análise superficial pode levar os gestores a tomarem decisões equivocadas. Por isso é necessário visualizar o fluxo de caixa, para ter uma ideia mais ampla e precisa de como está a situação financeira do seu negócio.

Com base em informações mais detalhadas, as tomadas de decisões podem ser assertivas.

Quais são os tipos de análise de fluxo de caixa?

Existem diversos tipos de análise de fluxo de caixa. Cada um funciona de uma forma e serve para um determinado tipo de caso.

Fluxo de caixa operacional

Financia todas as operações da sua empresa. É utilizado para compra de materiais, pagamento de funcionários e todos os demais custos previstos. Dessa forma, o fluxo de caixa operacional é o incumbido de manter o seu negócio funcionando. Entretanto, ele não contabiliza os investimentos nem determina se necessita de um capital de giro.

Fluxo de caixa projetado

Representa uma visão futura das finanças do empreendimento. A projeção é calculada com base nas entradas e saídas de capital. Quanto mais informações o gestor possuir para analisar, com mais precisão será a projeção do fluxo de caixa. Esse fluxo, em específico, tem como finalidade planejar pagamentos, organizar finanças, elaborar investimentos, entre outros.

Com a análise do fluxo de caixa projetado o gestor pode antecipar ou criar estratégias financeiras.

Fluxo de caixa direto

Utilizado para compilar os recebimentos e pagamentos das atividades operacionais, sem os descontos, apenas a parte bruta. Tem como objetivo central permitir que as informações de caixa fiquem disponíveis diariamente. Com isso, os recebimentos e pagamentos precisam estar organizados de acordo com a natureza contábil, dividido em classes. Por exemplo: pagamentos de fornecedores, tributos, recebimentos de clientes, entre outros.

Fluxo de caixa indireto

Método que se baseia na análise dos lucros e prejuízos do exercício descritos no DRE (Demonstrativos de Resultados do Exercício) e reparados por itens econômicos, como depreciação, amortização e variações nas contas patrimoniais. O fluxo de caixa indireto é muito efetivo, pois para colocá-lo em prática, não é preciso ter o controle total sobre o fluxo de caixa. Apenas é necessário utilizar os balanços patrimoniais relativos ao início e ao final do período, além da DRE e outras informações contábeis. Porém, os resultados podem não ser precisos.

Fluxo de caixa descontado

Conhecido pela sigla FDC, ele é basicamente um cálculo que determina quanto uma empresa vale. Muito utilizado para a captação de investidores, no processo de compra e venda de uma companhia ou em fusões, para avaliar o retorno do capital investido.

Fluxo de caixa para investimentos

Faz a mensuração pelas reservas que a empresa obtém, após o financiamento de todas as operações. Podem ser, pendências financeiras, empréstimos, notas promissórias ou outro passivo. Esse tipo de controle do fluxo de caixa auxilia no direcionamento dos ativos em investimentos, como títulos do governo ou ações na bolsa de valores. Entretanto, o ideal é que esses valores sejam aplicados em ações que possam retornar a empresa em maior volume.

Fluxo de caixa livre

É possível analisar o resultado esperado, e se o balanço for positivo, estudar onde aplicar o capital ocioso. Além disso, mensura a capacidade do negócio em gerar capital em curto, médio e longo prazo, indicando o saldo da comparação com o fluxo de caixa operacional. Se o balanço for negativo é possível elaborar estratégias para reverter a situação e alcançar a saúde financeira da sua empresa.

Quais são os danos causados pela má gestão do fluxo de caixa?

Desperdício de tempo, aumento do custo operacional e retrabalho são apenas alguns dos fatores prejudiciais para empresas que não fazem um acompanhamento minucioso do fluxo de caixa. Por isso, é importante definir um método que seja fácil e prático, para que seja atualizado diariamente. Uma dica é não procrastinar, pois se os períodos sem acompanhar o fluxo de caixa se prolongarem por muito tempo, chegará um momento em que não será mais possível retomar o controle.

Opte por um dos métodos do fluxo de caixa, eles não trazem malefícios, só auxiliam o seu negócio.

Agora que as suas dúvidas sobre a importância do fluxo de caixa foram sanadas, compartilhe conosco que método você utiliza para que a sua empresa seja um sucesso financeiro! Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRAR