Entenda o que é a nota promissória e como ela funciona

Programa InovAtiva Startups destaca Antecipa Fácil
2018-08-21
Capital de giro: como conseguir rápido e com baixo custo
2018-08-27

Nota promissória? Saiba o que é de uma maneira simples e objetiva.

O que é nota promissória?

É muito comum associar uma nota promissória, e o que ela é, com o pagamento de uma dívida. Essa correlação está correta. No entanto, diferentemente de outros itens semelhantes, há uma obrigação do pagador em honrar esse compromisso.

Há uma relação entre as duas partes: uma delas é imposta (no caso, o pagamento da dívida) e a outra se sujeita a quitá-la. Assim se define a expressão “obrigação”.

Isso se caracteriza a todo momento, mas a nota promissória formaliza esse acordo.

A nota promissória está prevista na Lei Uniforme de Genebra, assim como no Decreto n. 2.044, de 31 de dezembro de 1908.

Você viu o que é nota promissória. A partir de agora, saiba suas finalidades, como e/laborá-la e usá-la.

Como funciona?

Para a elaboração do documento e formalização do pagamento da dívida, há dois papéis primordiais: o do credor ou tomador e o do devedor ou subscritor.

O primeiro nada mais é do que o beneficiário do título, a pessoa que irá receber a quantia em questão. Já o devedor é quem assume o compromisso de pagar esse montante.

Através de endosso, a titularidade da nota promissória pode ser transferida. As garantias são mantidas para o novo titular.

Em caso de não cumprimento da nota – a falta de pagamento da dívida –, poderá haver um protesto e uma cobrança judicial, através de uma ação cambial executiva. Porém, para que isso aconteça, é necessária a representação por parte de uma advogado.

Entretanto, vale lembrar que não é necessária a supervisão de um advogado em caso de dívidas menores do que 20 salários mínimos. Quando isso ocorre, o Juizado Especial Cível (ex-Juizado de Pequenas Causas) pode ajudar a resolver o problema.

Como usar a nota promissória?

Saber o que é uma nota promissória não é suficiente para fazer um bom uso deste recurso. Saber as quando adotá-lo é também primordial.

Geralmente, o credor pode fazer a emissão de um documento como este em qualquer negociação na qual há uma dívida a ser paga. O documento tem o mesmo valor de um boleto bancário ou qualquer outro título de pagamento. Se não houver o cumprimento do compromisso até a data firmada, poderá haver o protesto, se o credor julgar necessário.

Isso está garantido, inclusive, no artigo 585 do CPC. Se o credor escolher cobrar a dívida formalmente, pode se valer de uma Ação de Execução de Título Extrajudicial, independentemente do protesto da nota.

Essa ação tem um prazo de três anos, a partir de seu vencimento, para ser concretizada. Entretanto, há uma saída após esse período: uma ação monitória pode ser feita em até cinco anos, a contar do dia seguinte ao vencimento da nota promissória.

Essa informação está prevista pelo Superior Tribunal de Justiça, pela Súmula 504.

Portanto, além de saber exatamente o que é e para que serve uma nota promissória, conhecer os prazos é fundamental para que a utilidade do papel não se perca.

A partir do momento em que o devedor assina a nota, se formaliza a existência do débito e a obrigatoriedade de seu pagamento.

O título é autônomo: não há uma causa específica para a origem da dívida. Qualquer negociação pode ser feita através de uma nota promissória. Nem mesmo nota fiscal é necessária, se a cobrança for feita dentro do prazo.

Para se concretizar uma nota promissória, apenas duas pessoas (ou partes) são fundamentais: o devedor, que juridicamente é o emitente do documento, e o credor. Dessa forma, a partir do momento em que é preenchida e assinada, o papel se torna um título de crédito – por isso pode ser protestado na falta de pagamento.

Saiba preencher corretamente

Você já sabe o que é nota promissória, além de como e quando usá-la. No entanto, para que todo esse processo seja feito corretamente, sem chances de problemas em caso de protesto do documento, é importante saber preencher o papel da forma adequada.

A força executiva de uma nota promissória é garantida através da existência de alguns itens no documento. Isso é previsto através do Decreto n. 57.663/1996. São eles:

  • O título do documento ser a expressão “Nota promissória”;
  • O nome do credor;
  • A obrigação de pagar uma determinada quantia, de acordo com a negociação entre as duas partes;
  • O local e a data de emissão do papel;
  • A assinatura do devedor.
Além disso, é importante salientar outros itens que devem estar no documento. Para evitar contratempos futuros, todos devem estar incluídos.

O primeiro deles é o número da nota promissória. Não se trata simplesmente de uma sequência. Deve-se verificar a quantidade total de papéis em uma série, como, por exemplo, 10. Dessa forma, pode-se enumerá-las de dois jeitos diferentes: 01 de 10, 02 de 10, 03 de 10 e assim sucessivamente, ou 01/10, 02/10 e 03/10 e assim por diante.

Se for um documento único, deve ser indicado na numeração como 01 de 01 ou 01/01.

Outro item indispensável é a data de vencimento da dívida. Caso não esteja explícita, a negociação é considerada à vista.

Também deve estar claro o valor a ser pago, o CPF do credor e do emitente, além do endereço completo deste, com rua, número, complemento, bairro, cidade e estado.

O formulário de nota promissória não precisa ser feito do zero. Geralmente, são vendidos em papelarias em blocos de 50 folhas. O documento pode ser preenchido à mão, com um cuidado especial para não haver rasuras.

Assim como um talão de cheques, há um canhoto anexo à cada folha. É importante preenchê-lo também no momento da emissão do documento. Dessa maneira, é possível ter um melhor controle de datas, principalmente se uma ação extrajudicial, sem contar, claro, de ter sempre à mão as informações essenciais.

A nota também pode ser preenchida online. Neste link, é possível acessar um formulário, através do qual vão sendo inseridas as informações exigidas legalmente. Os CPF do credor e devedor devem estar corretos – caso contrário, o documento não ficará pronto para impressão.

Neste texto, você viu o que é nota promissória e todas as informações relevantes para seu preenchimento e uso. Para ter mais informações sobre o assunto, acesse os outros textos do blog e fique de olho nas atualizações.


Você é um financiador ou empresa cedente? Cadastre-se !


 

2 Comments

  1. Andrea Santos disse:

    Gostei muito da explicação, simples e objetivo.
    Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRAR