Controle de fluxo de caixa: o guia para sua empresa

Capital de Giro 4 dicas imperdíveis para empresas
Capital de Giro: 4 dicas imperdíveis para empresas
2020-07-09
8 dicas de marketing para pequenas e médias empresas
2020-07-27
como controlar fluxo de caixa

Você sabia que uma entre quatro empresas criadas esse ano podem fechar as portas em até dois anos? Isso não depende apenas de crise, tem a ver principalmente com a falta de planejamento estratégico e o planejamento e controle financeiro, o famoso fluxo de caixa. 

São inúmeros os benefícios de ter um controle financeiro bem estruturado e entender o que entra e o que sai da sua empresa. Esse controle poderá te ajudar a analisar o que vai bem dentro da empresa; a repensar gastos supérfluos e cortar custos;  analisar pontos de atenção e mudanças dentro da empresa, além de auxiliar no planejamento estratégico e financeiro dos meses seguintes. 

Os 3 pilares do seu fluxo que devem  ser sempre levados  em consideração são: 

  • Contas a receber: 

Tudo que os seus clientes irão pagar, lucros de investimentos, etc, ou seja todos os recursos que o seu caixa irá receber. 

Dica da Antecipa Fácil:
Além de colocar na ponta do lápis todas as contas, é necessário analisar as datas de pagamento dos seus clientes  para se planejar e evitar a descapitalização da empresa. Se o prazo médio dos seus recebimentos é maior que o seu prazo médio de pagamentos, provavelmente a sua empresa poderá sofrer com a falta de capital para mantê-la funcionando.

 

  • Contas a pagar: 

Fornecedores, salários, estoque, insumos, aluguel, água, luz, internet; todas as despesas que a sua empresa tem.

  • Variáveis

São os imprevistos, despesas que você espera não ter, mas que podem acontecer.

Dica da Antecipa Fácil:
As empresas de sucesso pensam em todos os cenários possíveis e não apenas no melhor cenário. Por isso é importante que você tenha uma reserva e faça um planejamento preditivo das finanças do seu negócio levando em conta os imprevistos e desafios que podem surgir. Essa reserva preditiva pode, inclusive, salvar a sua empresa em um momento de crise. 

 

1. Comece separando seus gastos pessoais dos gastos da empresa

Esse é um passo importante, principalmente para pequenas empresas que algumas vezes confundem gastos da empresa com os gastos pessoais. 

 

 2. Registre todas as movimentações financeiras

Sim, tudo o que entra e sai da sua empresa deve ser colocado no papel. Fazer isso vai te ajudar a tomar as melhores decisões para sua empresa, além de ser uma ação preditiva contra surpresas desagradáveis que podem colocar a vida do seu negócio em risco. 

 

3. Categorize as movimentações do seu fluxo de caixa

Além de registrar, é necessário categorizar todas as movimentações. Fazer isso vai ser muito útil para a extração de dados valiosos que auxiliarão nas tomadas de decisões da empresa. Por exemplo: saber que todos os meses a sua empresa tem um gasto específico em algo que pode ser barateado ou até mesmo cortado da planilha de gastos, é extremamente útil para o caixa do seu negócio.

 

4. Verifique seu fluxo de caixa diariamente

Se atente a periodicidade. Alimentar o seu fluxo de caixa e até mesmo revisá-lo deve ser uma tarefa diária. 

 

5. Analise os seus dados

Não subestime o poder do fluxo de caixa. Como dito anteriormente ele é de suma importância para planejamento estratégico. Através de análises é possível verificar se a sua empresa necessitará ir em busca de uma linha de crédito para auxiliar no capital de giro, se pode investir em expansão ou melhorias internas. As possibilidades são infinitas!

 

6. Tome decisões com base no seu fluxo de caixa

Decisões como corte de gastos e a necessidade capital de giro para manter a empresa funcionando, por exemplo, podem ser tomadas com mais propriedade e segurança através da análise do seu fluxo de caixa. Ele te dará dados poderosos também para avaliar o preço dos seus serviços/produtos ou produtos e realizar ações estratégicas em prol do crescimento da sua empresa. 

 

7. Análise sua margem de lucro

Se você analisou o seu fluxo de caixa e percebeu que talvez você esteja pagando para trabalhar, é a hora de fazer uma análise da sua margem de lucro. Para descobrir, é simples: 

  • Identifique o lucro líquido:

Lucro líquido= receita total-despesas
Exemplo:

Receita total: R$ 100.000

Custos de execução: R$ 50.000

Imposto: R$ 10.000

Despesas fixas: R$ 20.000

Despesas variáveis: R$ 5.000

Lucro líquido= R$ 100.000 – R$ 50.000 – R$ 10.000 – R$ 20.000 – R$ 5.000 = R$ 15.000

Lucro líquido= R$15.000

  • Identifique a margem de lucro

Margem de lucro (ML)= Lucro líquido/receita total x 100

ML= R$ 15.000/R$ 100.000 = 0.15 x 100 = 15%

Margem de lucro= a 15%

Ou seja, para cada R$100 que entra na sua empresa R$85 são usados para financiar os custos.

 

8. Avalie seu Capital de Giro

Não basta vender, é necessário saber como estará as finanças da sua empresa no futuro e  avaliar a necessidade do seu capital de giro é fundamental para as projeções dos meses seguintes. 

A falta de projeções, podem resultar até mesmo no falência da empresa, pois você não saberá se está com saldo positivo para os meses seguintes ou se precisará, por exemplo, recorrer a uma fintech de crédito para antecipação de recebíveis

Veja, se hoje a sua empresa vende produtos ou presta serviços para clientes que pagam, com depósito em conta corrente, entre 15 e  180  dias, você vai precisar ter dinheiro para “sobreviver” até o dia que receberá esse valor. 

Entenda como fazer o cálculo da necessidade de capital de giro aqui .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRAR