As vantagens da amortização de financiamento

Securitização: como funciona? Vale a pena?
2018-06-04
Antecipação de recebíveis: entenda todas as modalidades
2018-06-04

Você sabe como amortizar o financiamento? Antes de respondermos essa pergunta, é preciso entender o que significa amortização e, somente depois, vamos conseguir perceber qual a sua relação com o financiamento.

Amortização pode ser definida como a forma de pagamento de uma dívida à instituição financeira, ou seja, a maneira que você restitui mensalmente ao banco os valores emprestados.

Resumindo: amortizar é uma das formas de extinção de dívida. Optando por utilizá-la, você realizará pagamentos periódicos (mensais) para quitar o saldo devedor que possui com a instituição bancária.

Assim, o pagamento mensal da dívida corresponde à amortização somada aos juros calculados sobre o saldo devedor, bem como de outros encargos (seguro e custos da administração).

Importante mencionar que os juros a serem pagos sempre serão calculados sobre o valor do saldo devedor, o que torna mais interessante, como veremos a seguir, amortizar do tempo total do financiamento.

Opções de amortização

Agora que você já sabe o seu significado, é bom que fique claro que você tem várias opções de como amortizar o financiamento.

Você poderá amortizar de duas maneiras. Você pode pagar, pedindo para reduzir do seu tempo total de financiamento, ou solicitar para reduzir dos valores da parcela que você paga. A opção de como amortizar deve ser feita de acordo com suas condições financeiras no momento.

Se as parcelas estiverem atrapalhando você, melhor optar por abater os valores das parcelas.

Se esse não for o caso, escolha a redução do saldo devedor, porque, assim, você se livra de pagar muitos juros e encargos atrelados à sua dívida. E os juros passarão a ser calculados do saldo agora restante e não sobre o valor da dívida inteira.

Assim, quanto menor o tempo que você vai demorar a pagar sua dívida, menor a incidência de juros.

Observação: quando você reduz apenas das parcelas, todos os encargos, enquanto dure o financiamento, permanecem os mesmos, só havendo a redução do valor a ser pago mensalmente.

Sistemas de amortização

Existem diversos sistemas disponíveis para você que deseja amortizar o seu financiamento.

Por mais que os consultores financeiros costumem indicar um em detrimento do outro, antes de optar por um sistema de amortização, você que deve pesar se o orçamento vai caber ou não no seu bolso.

Independentemente do sistema escolhido, todos os anos você sentirá o aumento referente ao reajuste da inflação e, não raro, haverá uma surpresa no momento de pagar. Por isso, é bom estar preparado e economizar!

SAC — Sistema de Amortização Constante

As prestações decrescentes ao longo do financiamento são as principais caraterísticas do Sistema de Amortização Constante.

Esse sistema é muito interessante, pois, além de significar a redução dos valores das parcelas, os juros cobrados também vão se reduzir, de modo que a única coisa que se mantém constante são os valores de amortização nas parcelas.

Assim, embora você talvez tenha que fazer alguns malabarismos no início para dar conta de pagar as parcelas com valores altos, ao final de determinado período, você terá uma redução das parcelas e dos juros que a acompanham, de modo que você conseguirá economizar se optar pelo SAC.

Então, ele é mais barato no que diz respeito ao valor total pago.

Em síntese, como o nome já diz, no SAC a amortização da dívida é a mesma em todos os períodos em que ainda se encontre pendente o financiamento.

Tabela Price

Também denominado de sistema francês, outra forma de como amortizar é a tabela price, na qual as parcelas são fixas durante todo o período de pagamento do financiamento.

A única coisa que se mantém constante, portanto, é a parcela a ser paga por você. Os valores cobrados a título de amortização, bem como os juros amortizados vão diminuindo ao longo do financiamento.

Em síntese, na tabela price as prestações mensais que vão se manter constantes.

Imagem comparativa entre o funcionamento de como amortizar com o Sistema de Amortização Constante e com a tabela Price.

SAM — Sistema de Amortização Mista

Como era de se imaginar, no Sistema de Amortização Mista são utilizados os dois sistemas anteriormente mencionados: Sistema de Amortização Constante e tabela Price.

Nesse sistema, é determinado quanto se paga nas prestações a partir do calculo da média aritmética das parcelas periódicas dos outros dois sistemas.

Como reduzir as parcelas do financiamento?

As parcelas do financiamento são reduzidas com o objetivo de facilitar para quem está com dificuldade de pagar as prestações e, assim, é reduzido o risco de inadimplemento.

Quando você opta pela redução das parcelas, todos os encargos e juros são mantidos. A única diferença é que as prestações pagas mensalmente terão seu valor reduzido, facilitando para que você continue honrando com suas obrigações financeiras.

Como o encargo mensal é formado?

O encargo mensal a ser pago é composto por uma soma de fatores, quais sejam: juros sobre o saldo total devedor, valor da amortização, custos da administração e seguro.

Prestação mensal é a soma de fatores.

Sendo assim, o encargo mensal é formado pela obrigação principal mais seus acessórios, que seguem.

Juros sobre saldo

É os juros sobre o saldo total a pagar e que pode variar de acordo com a inflação anual.

Valor da amortização

A prestação (encargo) mensal também é formada pelo valor da amortização.

Custos de administração

Costuma ter um valor fixo limitado a R$ 25,00.

Seguro

Tanto no caso dos juros sobre o saldo, custos da administração e seguro, quanto menos tempo você demorar a quitar a dívida, menor será o valor final pago.

Ao contrário dos custos da administração que não variam, o valor pago a título de seguro vai depender do valor do imóvel, bem como da sua idade. Quanto mais novo, menor o prêmio mensal do seguro.

FGTS na amortização

Uma dúvida muito frequente é como utilizar o FGTS para amortizar dívida referente à casa própria.

Acontece quando você se valeu de um financiamento para comprar sua casa própria e, após já ter pagado algumas parcelas, decide aplicar o FGTS para amortizar sua dívida.

Ou seja, dessa forma você aproveita o seu FGTS para abater do saldo devedor. Essa modalidade de amortização com o FGTS pode ser utilizada a cada dois anos.

Para utilizar seu FGTS, você deve reunir a documentação necessária e apresentá-la na caixa: carteira de identidade, extrato de conta vinculada ao FGTS, carteira de trabalho, declaração de órgão gestor da mão de obra ou sindicato (para o caso de trabalhadores avulsos), declaração de imposto de renda.

Essa é uma forma muito indicada de amortizar a sua dívida! A cada dois anos, você terá dinheiro acumulado no FGTS e, assim, conseguirá reduzir bastante o tempo de financiamento da sua casa própria.

Chegamos ao final deste artigo e muitas questões sobre as vantagens de amortizar foram tratadas. Lembrando que o mais importante é que você analise como anda o seu orçamento, para não firmar nenhum compromisso que depois não vai ter condições de cumprir.

Ficou com alguma dúvida? Não perca tempo e deixe aqui seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ENTRAR